sexta-feira

“O estresse nosso de cada dia”

“O estresse nosso de cada dia”

Estudos  sobre o “Estresse” na área da Neurociências, demonstram que nosso cérebro se assemelha a um computador de altíssima geração.     O cérebro, esse Biocomputador comanda nosso corpo interagindo com ele e com o meio, se auto regulando permanentemente,  visando manter a estabilidade e garantir a sobrevivência.                                      

Para se adaptar ao meio, muitas vezes hostil, o organismo desenvolve um mecanismo de defesa que esta centrado no cérebro que é disparado  toda vez que uma pessoa está diante de um perigo ou ameaça, tais como:
Competição no ambiente de trabalho,  dificuldades nos relacionamentos,  diferentes tipos de poluição,  crise financeira,  instabilidade de emprego,  falta de moradia, instabilidade de emprego,  falta de moradia,  trânsito complicado nas grandes cidades , assaltos etc....Essas ameaças são frequentes em nossas vidas e atualmente são mais fáceis de serem percebidas e compreendidas.
Entretanto, quando a tensão é prolongada e o indivíduo não pode passar à ação lutando ou fugindo, para livrar o organismo do estado de estresse, sua saúde é prejudicada.                                       
O desequilíbrio contínuo criado pelo estresse, quando prolongado, pode gerar sintomas psicológicos e físicos, que são os transtornos psicossomáticos, consequentemente, resultarão em doenças.  Para quem anda em ritmo acelerado a perda é em qualidade de vida.  Então, você deixa de desfrutar do quotidiano, priva-se da capacidade de ter prazer nas pequenas coisas que compõem o seu dia-a-dia.  Em longo prazo isto pode acarretar o aparecimento de doenças como a depressão, síndrome do pânico, úlceras estomacais, cancer  e outras.                                                                                                         
É importante  uma transformação do padrão mental,  garantindo um fortalecimento emocional para que menos coisas sejam percebidas como "ameaçadoras" e desta forma, economizar energias  emocional e orgânica,  para utilizar em questões mais "interessantes" e produtivas  para o meio em que vivemos, melhorando assim,  o gerenciamento do estresse e a qualidade de vida.

                                                                                        
                                                           Por, Eni Peniche -  Palestrante, Psicóloga e Coach

Nenhum comentário: