domingo

Filmes relacionados à PNL

Indicação de Filmes relacionados à PNL


FILMES:


Filme de 1993

Bill Murray está mais irônico do que nunca nesta comédia romântica sobre um repórter do tempo, cheio de problemas, passando pelo pior dia de sua vida. Junto com um produtor cheio de energia (Andie MacDowell) e um esperto câmera man (Chris Elliot) o homem do tempo da TV, Phil Connors (Bill Murray) é enviado para Punxsutawney, Pensilvânia, para cobrir as festividades do Dia da Marmota. Quando tenta sair da cidade, Phil é surpreendido por uma fortíssima tempestade de neve, a qual ele não conseguiu prever e acaba preso naquela pequena cidade. Quando parecia que tudo de ruim já tinha acontecido, algo ainda pior acontece. Phil acorda na manhã seguinte e passa pelo Dia da Marmota tudo de novo... e de novo... e de novo.


Cenas de PNL detectadas no filme:


Repetir até conseguir um estado emocional equilibrado e saudável.
Busca da excelência!


_____________________________________________________________________

O agente da estação
Título Original: The Station Agent
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 90 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2003
Site Oficial: www.miramax.com/the_station_agent



O Agente da Estação, um título aparentemente normal esconde uma bela história de amizade e compaixão com o próximo. Finbar McBride (Peter Dinklage) anseia por uma vida tranqüila e reservada. Trabalhava em uma loja construindo miniaturas de vagões de trem e quando seu sócio falece, ele herda um pequeno terreno em uma estação abandonada. Medindo um pouco mais de um metro, fica praticamente impossível para ele se misturar na multidão, constantemente ouvia insultos e preconceitos por medir pouco mais de um metro de altura.

Nascido com nanismo, Finbar escolhe então uma rotina de reclusão para fugir da atenção demasiada que a sua pequena estatura provoca. Ele passa a morar na estação de trem abandonada cuidando de sua maior paixão: os trens. Logo nos primeiros dias quando almejava por paz e tranqüilidade, conhece Joe (Bobby Cannavale), um vendedor de cachorro-quente extremamente feliz e amigável e uma artista (Patricia Clarkson) que recentemente havia passado por um momento muito delicado relacionado a perda de seu filho.

O filme tem uma profunda relação de amizade, e até nos momentos mais difíceis os três se uniram para ajudar Olívia que sofria de uma terrível depressão pela perda do seu filho. Findar encontra verdadeiros amigos, e cada um tinha seus próprios problemas: Joe com o pai doente, Olívia com depressão pela perda do filho e o anão pelo preconceito que sofria e, no entanto ocorre uma ajuda mútua possibilitando maior desenvolvimento e aumentando o laço social dos personagens.

Após darem sentido às suas vidas, eles transcenderam a mera existência e descobriram que verdadeiros amigos são a maior riqueza que podemos ter. As cenas de PNL foram muitas no filme, vale a pena assistir.





------------------------------------------------------------------------------------------------------




A corrente do bem
Título Original: Pay It Forward
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 115 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2000
Site Oficial: www.payitforward.com 


É possível uma idéia mudar o mundo? Como seria fazer um favor e não pedir nada em troca, apenas que seja passado a frente para mais três pessoas?

Em sua primeira aula o novo professor de Estudos Sociais Eugene Simonet (Kevin Spacey), pergunta aos seus alunos da sétima série o que o mundo significa para eles e afirma que se eles não gostarem do que vão encontrar basta modificar. O professor passa um trabalho aos seus alunos e pede para criarem algo que possa modificar o mundo. Um de seus alunos, Trevor McKinney (Haley Joel Osment), com o incentivo do professor cria o “Passe para Frente”.

O seu trabalho consiste, começando por ele, Trevor, ajudar três pessoas e não pedir nada em troca, apenas que essas pessoas ajudadas ajudem mais três pessoas e assim por diante. A sua idéia exige bondade e fé, e as três pessoas que ele escolhe ajudar não são fáceis: um é usuário de drogas, sua mãe alcóolatra e seu colega de sala que num primeiro momento faltou-lhe coragem.

O filme é surpreendente pela força de vontade e persistência do garoto em ajudar as pessoas, ajudar sem querer nada em troca. Possui uma mensagem muito positiva e realmente queremos, depois de assistir o filme, ajudar as pessoas em nossa volta. E quando alguém acha difícil mudar, todos saem perdendo, se uma pessoa não cumpre o seu dever, outras não poderão ser alcançadas, talvez por isso o filme não tenha um final que todos esperam.

É uma caminhada para a sensibilidade, o progresso cabe a todas as pessoas, mas muitas delas se sentem à vontade com o estado atual e não sentem necessidade de um desenvolvimento adicional. Mudança e desenvolvimento, porém, são passos essenciais ao processo vital. Por isso comece hoje mesmo ajudar quem precisa, não diga que não pode, e sim que você é capaz de ajudar e de levar alegria as pessoas. Basta querer.


Cenas de PNL detectadas no filme:

Confiança na competência dos alunos pelo professor quando dizem que o trabalho é difícil e não vão conseguir fazer. O professor afirma que eles têm todos os recursos que precisam para fazer;

Rapport do primeiro encontro do professor com a Arlene (Helen Hunt), mãe de Trevor;

Leitura de mente de Arlene, na cena do jantar em que o professor pergunta quantas horas ela passa com o garoto.






------------------------------------------------------------------------------------------------------





Mentes Perigosas
Título Original: Dangerous Minds
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 99 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1995

O filme conta a história de uma ex-oficial da marinha que passa a lecionar em uma escola de subúrbio nos Estados Unidos onde alunos americanos e mexicanos convivem juntos. O filme se baseia em uma professora em seu primeiro trabalho, tendo que enfrentar uma sala de alunos rebeldes, cheio de problemas sociais envolvendo família, drogas e preconceito.

No começo a professora LouAnne Johnson (Michelle Pfeiffer) sente-se desafiada e pensa por alguns instantes que não é capaz de dar aulas para aquela turma e um outro professor lhe diz em uma conversa, que ela precisa de algo para prender-lhes a atenção. A professora coloca a responsabilidade para os alunos dá a todos nota A, afirmando manter essa nota alta e mais difícil que tirá-la uma vez só.

Em uma das cenas do filme, em que é ensinado uma série de verbos, uma das alunas diz que o verbo mais importante falado foi o verbo “escolher”, isso demonstra que aqueles alunos queriam escolhas, e estavam ali por não tê-las. Um dos pressupostos da PNL é: fazemos a melhor escolha que temos disponível no momento e Michelle nesse instante convence os alunos que escolheram estar ali ao invés de estar na rua roubando, escolheram se formar para ter um futuro melhor e escolheram pegar o ônibus para ir a escola a consumir drogas.


Cenas de PNL detectadas:

- Rapport da professora com os alunos nas aulas.

- Metamodelo de linguagem na cena em que conversa com uns dos alunos que brigaram.

- Uso do pressuposto da PNL: fazemos a melhor escolha que temos disponível no momento

- Confiança na competência do aluno na cena do jantar, em que ela o ensina a pedir a comida.

- Não existem fracassos, apenas resultados na premiação do concurso Dylan-Dylan, em que todos ganham.

O filme permite aos alunos novas perspectivas e diz que a mente é um músculo que precisa ser constantemente exercitado e quando mais preparados eles estiverem, menos chances de serem derrotados eles terão.

A professora passa a ser então fonte de referência para os alunos e mesmo com as adversidades consegue fazer a diferença na vida deles ensinando poesia e a ver as coisas de uma outra forma.








Peixe Grande e suas histórias maravilhosas

Título Original: Big Fish
Gênero: Comédia
Tempo de Duração: 125 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2003


Realidade e fantasia caminham juntas neste intrigante filme. Fatos corriqueiros de nosso dia a dia são transformados em fantasias, misturando o real ao imaginário. O diretor Tim Burton consegue nos passar uma bela mensagem através desse filme: que a nossa realidade nós a fabricamos, ela se torna o que queremos que ela seja.

A principio, as estórias que eram contadas pelo seu pai Albert Finney (Ed Bloom), ao filho eram fantasiosas e este procurava sempre encontrar as verdades. Questionava ao pai o que havia acontecido realmente e nunca obtivera a realidade que queria, escolhia sempre duvidar do pai ocasionando diversas brigas na família.

O filme é recheado de metáforas. O filme é uma metáfora que transforma a vida de um homem em uma grande história (a história de sua vida). Ed sabia até a forma como iria morrer, pois, tinha visto no olho de uma bruxa quando criança e por isso se arriscava em missões difíceis correndo muitos riscos. Em uma de suas fábulas, coloca que a melhor maneira de se fisgar uma mulher é oferecendo-lhe uma aliança.

Big Fish (título em inglês) é um filme surpreendente, esperamos sempre a próxima cena para ver o que vai acontecer e com certeza é não é o que esperamos. Um filme que mexe com nossos sonhos, nos remete a nossa infância e desafia a nossa imaginação a inventar estórias tão belas quanto aquelas onde encontramos um gigante que não e mal e uma cidade que não está no mapa.


---------------------------------------------------------------------------------------------------


Meu nome é rádio

Título Original: Radio
Gênero: Drama
Tempo de Duração: 109 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 2003

Solidariedade, sentimento ensinado por este lindo filme. Meu Nome é Rádio, um roteiro baseado em pessoas e como podem ajudar-se mutuamente. Todos têm algo a aprender uma com as outras. O diretor Michael Tollin conta a história verídica de um treinador de um time de futebol que passa a ser o tutor de um jovem negro e com deficiência mental fazendo este se tornar um homem corajoso e o ensina a nunca desistir de seus sonhos.O filme acontece na década de 70, no interior dos Estados Unidos, o treinador Harold Jones (Ed Harris) após flagrar seus jogadores maltratando Rádio (Cuba Gooding Jr.) resolve trazê-lo para acompanhar os treinos e a participar do dia a dia da escola T. L. Hanna High School.

O treinador supera vários obstáculos no filme para que Rádio não fique desamparado. Vai contra a diretora da escola e o ministério público por ser tratar de um colégio estadual e um dos pais dos jogadores pede o afastamento do jovem negro, pois supõe ser ele o causador dos problemas. No entanto o treinador se mantém firme e determinado a ajudar Rádio. Ensina-o a ler, escrever, a se comunicar, a rotina dos treinos e ele se torna o monitor das turmas o 3º ano anunciando as merendas no microfone. Harold Jones revela a sua filha em dado momento do filme que durante dois anos entregava jornais e teve a oportunidade de ajudar um garoto, mas não o fez e justifica a filha o porquê de estar ajudando agora. No natal Rádio ganha vários presentes, e passa a ser admirado por todos na cidade, exceto o pai de um dos jogadores que pede a saída de Rádio do time. Uma das cenas mais emocionantes ocorre quando Ed entra na barbearia e diz por mais que ame o Futebol, deixaria de ser treinador para continuar a educar o jovem.

Rádio se forma junto com o 3º ano, e é o orgulho do treinador, um homem que emociona a todos por ter provado que as melhores vitórias do mundo acontecem na vida real. Precisou abrir mão de algo que amava para ser solidário a uma pessoa que nem conhecia. Hoje, Rádio e o atual treinador do Time de Hanna.


  Cenas de PNL detectadas:

O filme transmite uma lição de humanidade, de reconhecimento pelo próximo e a diferença que isso faz.

O pequeno gesto do treinador em ajudar o rapaz, o reconhecimento, o espelhamento foi trazendo tanta diferença na vida dos dois que essa mudança atingiu todo colégio e, por fim, toda cidade.

Um rapaz que quase não era percebido e pouco conhecido se torna popular e respeitado...

Ponte ao futuro feita no vestiário. O treinador pede aos jogadores que visualizem a vitória.

O bem que se faz ao próximo é percebido por todo o sistema em que está inserido.



---------------------------------------------------------------------------------------------------


O amor é cego

Título Original: Shallow Hal
Gênero: Comédia
Tempo de Duração: 
Ano de Lançamento (EUA): 2001


Depois do sucesso inicial do Grupo de Estudos com Filmes, o filme apresentado esta semana foi O Amor é Cego, uma comédia romântica muito original e uma apologia à beleza interior. Hal (Jack Black) só observa a beleza exterior das mulheres e não se interessa pela personalidade, certo dia fica preso no elevador com Anthony Robbins, um guru que em uma rápida seção o hipnotiza e a partir disso Hal não liga mais para o superficial, agora liga somente para a beleza interior.

No mesmo dia Hal vai a uma danceteria e consegue dançar com três garotas, no dia seguinte faz sucesso com uma garota em um táxi, porém se apaixona por Rosemary Shanahan (Gwyneth Paltrow), uma garota de aproximadamente 250kg que Hal a vê com uns 52kg. Logo descobre que ela é filha de seu chefe e quando ela é apresentada ao seu melhor amigo, Mauricio (Jason Alexander), esse fica interessado em saber o porquê da mudança radical de sua personalidade.

Com a hipnose desfeita, porém com o sentimento instalado, Hal se sentia alegre e feliz ao lado de Rosie e mesmo percebendo a realidade, resolve procurá-la. No final do filme felizmente a encontra em sua festa de despedida para Kiribati e abre seu coração na frente de todos. O filme nos passa uma bela lição de moral de que precisamos mudar nosso foco e enxergar a verdadeira beleza por trás das aparências.



Os temas de PNL detectados foram os seguintes:

instalação de crenças ainda na infância, pelo pai (no início do filme, cena do hospital);

rapport entre Anthony Robbins e Hal;Tony identifica a crença de Hal e sugere uma mudança; O mestra da PNL acessa estado, quebra estado e usa linguagem hipnótica para mudar o padrão(cena do elevador);

o amigo de Hal mantendo o foco no "defeito" da namorada (cena do parque);

Hal,com um novo padrão de pensamento,vê nas crianças do hospital apenas lindas crianças,sendo que todos estavam em tratamento,feridas(cena do hospital);

frase de Robbins "os olhos vêm o que o coração quer sentir" (cena em frente do prédio),quando ele diz que Hal estava hipnotizado antes de encontra-lo;mudança de percepção, isso que fez Robbins com Hal;


Como seria superar suas limitações? O que mais você poderia fazer se mudasse o foco de sua atenção e canalizasse sua energia no que tem de melhor? O que isso poderia alterar em sua vida? Nada? Quem sabe toda sua história!!!



--------------------------------------------------------------------------------------------------------



Don Juan de Marco
Título Original: Don Juan DeMarco
Gênero: Romance
Tempo de Duração: 97 minutos
Ano de Lançamento (EUA): 1995

O filme parte de um silogismo romântico na qual é indagada a questão: a realidade é aquilo que vemos objetivamente ou ela é, na verdade aquilo que sentimos? O filme basicamente retrata um jovem que se dizia ser o próprio Don Juan, e que perdendo aquela que seria seu grande amor, resolve cometer suicídio. O psiquiatra Jack Mickler (Marlon Brando) é chamado para convencer o jovem a descer e principalmente a compreender sua mudança de identidade. Neste caso o terapeuta teve que fazer algo que fosse diferente e esta diferença, para que seja útil, não se pode afastar-se demasiado da realidade do paciente, pois seria totalmente rejeitada e como podemos constatar ao longo do filme , uma boa terapia modifica o paciente e também o terapeuta, sendo uma construção conjunta acrescentando novas descobertas e emergindo sentimentos já adormecidos em nós. Diz-se que o amor nunca morre em nós, apenas adormece para que acorde cada vez mais forte, não é mesmo?


Os temas de PNL detectados foram os seguintes:

Primeiro acompanhar... depois conduzir – Primeiro princípio da PNL e fundamental no filme para que ocorressem as mudanças desejadas.

A comparação de tocar a mulher a tocar um instrumento raro – Metáfora utilizada por Don Juan no início do filme em sua última conquista.

Utilização do meta-modelo de linguagem para convencer o suicida a descer do outdoor – estratégia utilizada na negociação, pelo terapeuta, para convencer Don Juan a não se jogar.

Metáfora isomórfica de um caso similar ao de Don Juan – metáfora construída especificamente para elucidar os sintomas da personagem.

Representação interna dos amores de Don Juan – a personagem descreve não só suas amantes, mas os locais com uma bela riqueza de detalhes.

Resignificação do hospital – Don Juan interpreta o hospital como sendo a mansão do psiquiatra e ele seu hóspede.

Rapport e espelhamento – Quando Don Juan aprender a lutar com espadas e no hospital com os enfermeiros.

Pistas oculares – Bem identificadas no diálogo que a personagem tem com o juiz para ser liberado do hospital. Don Juan recorda-se o tempo inteiro da metáfora que ouvira do terapeuta.


A verdade que Don Juan sofria de um romantismo incontrolável, e o pior, contagioso. Até seu terapeuta ao final do filme se tornou um romântico de primeira linha. Uma mensagem fica para todos nós, quando a mãe de Don Juan (Dona Inez) vai visitar o médico e conversando sobre o passado do filho e principalmente quando perguntada sobre a verdade ela responde sem tremular: “A verdade está dentro de você”





Nenhum comentário: